terça-feira, 9 de setembro de 2008

Você é o que ninguém vê


"Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai. VOCÊ É O QUE VOCÊ LEMBRA.

Você é a saudade que sente da sua mãe, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas. VOCÊ É O QUE VOCÊ CHORA.

Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, os pedaços que junta, você é a gargalhada, o beijo. VOCÊ É O QUE VOCÊ DESNUDA.

Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá. Você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás. VOCÊ É O QUE NINGUÉM VÊ. "
__________________________________________________________
Maybe you're the result of everything you lived, everything you felt, everything you said and everything you didn't say. Every moments and memories. Are you this? You should...

1 comentários:

Rubens disse...

essa eh minha cunhadaaaa...

está falando apeenas a verdade...

somos quem podemos ser neh!?rsrs

é só...beiijo!